quarta-feira, 24 de março de 2010

Tenho que tirar a dor de meu paciente!!!

Paciente comparece a clínica de urgência da Universidade apresentando dor aguda espontânea exacerbada ao deitar em região esquerda de face. A paciente não consegue localizar com precisão o dente envolvido. Em exame clínico foi constatada a presença de duas fístulas, sendo a primeira em região de periápice do dente 36 e a outra em região cervical do dente 37.
Após o exame radiográfico encontramos a seguinte situação:

Após os teste de sensibilidade, percussão e palpação, o paciente respondeu da seguinte forma:

Dente 35: resposta aguda ao calor e aliviada ao frio. Leve alteração a percussão e palpação.

Dente 36: sem resposta ao frio e calor, percussão e palpação.

Dente 37: resposta ao frio com alivio após a remoção do estímulo. Sem resposta a palpação e percussão.

Diante do exposto qual diagnóstico e tratamento você faria?


5 comentários:

  1. Dei uma viajada nesse blog e adorei a idéia. A discussão de casos e colocação das dificuldades e limitações da endodontia só vem a mostrar que apesar dessas limitaçõs o correto planejamento do caso e a resposta do organismo humano são os princípios que levarão ao sucesso.

    Quanto ao caso clínico, acredito eu que temos a seguinte situação:
    Dente 35: pulpite aguda irreversível.
    Dente 36: abscesso periapical crônico.
    Dente 37: seria um abscesso periodontal??

    Abraço a todos,


    Carlos Otávio
    Florianópolis-SC

    ResponderExcluir
  2. Pelo relato do caso clinico,acredito que seja o seguinte:
    no dente 35: Pulpite irrersível aguda, tendo como tratamento remoçao da polpa,tratamento e obturaçao dos canais radiculares e proservaçao
    no dente 36: Abscesso Periapical Crônico,tendo como tratamento eliminaçao do agente agressor e posterior tratamento e obturaçao dos canais radiculares e antibioticoterapia se o paciente apresenta algum envolvimento sistêmico
    No dente 37: Pulpite Reversível,tendo como tratamento Proteçao pulpar indireta superficial e/ou profunda proteçao pulpar direta(capeamento) em casos de exposiçao pulpar, Restauraçao da cavidade e Proservaçao do caso

    Lucas Veras

    ResponderExcluir
  3. Dente 35: Pulpite irreversível aguda

    Dente 36: Abcesso periapical crônico

    Dente 37: Abcesso periodontal associado a pulpite reversível.

    ResponderExcluir
  4. Suely Moreira
    A minha hipótese seria...
    Dente 35: O diagnóstico é Pulpite irreversível e o tratamento é pulpectomia.
    Dente 36: Diagnóstico Abscesso periapical crônico e o tratamento é a Penetração desinfetante e a obturação após o desaparecimento da fístula.
    Dente 37: O diagnóstico é pulpite reversível, provavelmente tem uma infiltração e o tratamento é a remoção da causa, restauração do elemento dental e proservação.

    ResponderExcluir
  5. Olá, achei super legal a iniciativa do seu blog!
    Bom, o elemento dentário 35: Pulpite reversível
    Elemento 36: Abcesso Periapical crônico
    Elemento 37: Abcesso periodontal crônico
    Confere?

    ResponderExcluir